• sujeito_1
  • sujeito_2
  • sujeito_3
  • sujeito_4
  • sujeito_6
  • sujeito_7
  • sujeito_8

  • retratado_1
  • retratado_2
  • retratado_3
  • retratado_4

Taxidermia é um procedimento científico com finalidade didática. Tem por objetivo preservar um exemplar animal, conservando determinadas características que o tornem reconhecível: ossos, pele, pelo, plumagem. Ou ainda, uma determinada situação: pose de caça, certa maneira de escalar uma árvore, sua performance em seu habitat. Através dele, o leigo conhece características da espécie que o zoólogo investiga no interior de seu gabinete ou em campo.

Algo aproxima esses objetos das imagens de santos. Embora sejam imagens de naturezas diferentes, parece haver uma qualidade compartilhada entre elas. As imagens de santos devem simbolizar uma presença espiritual, mas também evitar a idolatria. A pose, as roupas, os cabelos ou a maquiagem com que são caracterizados falam-nos de seus atributos, feitos, ensinamentos. São também, à sua maneira, objetos de ensino.

Tais práticas, no entanto, podem parecer, aos olhos de alguns de nós, estranhas, tocadas por um aspecto mórbido, de mau-gosto. Talvez por que a morte tenha se tornado quase insuportável e, portanto, seja cada vez mais invisível. A maneira com que evidencia a ausência pode ter tornado a taxidermia incômoda, assim como a imagem sacra.

O trabalho de Karina Zen lida com essa característica de modo curioso. Através da lente, aquilo que estava ausente se torna presente. O olhar fotográfico anima o objeto fotografado, tornando-o sujeito da observação. O enquadramento é capaz de reconhecer, sugerir interação, dar vida àquelas figuras mortas. De itens excêntricos de coleções obsoletas, passam a evocar aquilo que a morte não consegue apagar – a graça de um semblante, a ironia de um olhar, o impacto de uma emoção. Tudo que a memória pode guardar e que se torna presente, novamente, no instante.

Fernanda Pitta
Texto produzido para a exposição individual Modos de Permanência, Centro Universitário Maria Antônia, São Paulo/SP, 2010